couve-flor tronco e membros


Boa festa!
agosto 24, 2006, 4:31 pm
Filed under: GERAL

amigos…

Estou aqui treinando o teletransporte pra ver se eu consigo chegar no Jokers hoje à noite, vamos ver se rola… Se nao der, bebam uns drinks por mim e comam muitos quitutes (pena que o Gus nao vai fazer os canudinhos de maionese…). Acredito muio nesse coletivo, nesse projeto, na vida e no amor. Com um pouco de romantismo, e com muito trabalho!

Escrevi uma resposta à ultima mensagem da Mi sobre o video, vejam em video-comentario.

E tive uma idéia: para a proxima reuniao, vamos tentar nos conectar pelo messenger com voz? Assim eu posso estar muito mais presente! Proponho isso tbem pra mi e sté, vamos falar sobre o video pelo messenger, é so combinar uma hora…

Vou tentar colocar o texto bagunçado (processo de criaçao de um texto) que eu tô escrevendo no blog, se eu nao conseguir eu mandei uma copia pro Gus (ajuda?)

Beijos miles pra todos

Beti

Anúncios


Reunião
agosto 4, 2006, 7:15 pm
Filed under: GERAL

Gustavo Bitencourt

Pode ser na minha casa? Aí eu já mostro pra vcs as coisas que tão no computador (o projeto do site, o layout do catálogo etc.)



Conversas com Rebeca, Gilsamara e Keyla
agosto 3, 2006, 2:39 pm
Filed under: GERAL

Ricardo Marinelli

Tentando ser objetivo e claro:

1- Conversei com a Gilsamara por telefone na segunda feira e ela apontou a inviabilidade de que a proposta ainda fosse enviada para o Festival pois ela e sua equipe fecharam a curadoria no domingo, um dia antes. Se mostrou muito solícita com a idéia, mas não seria mais viável enviar uma proposta para o festival. Neto e Sté: Solução ou mobiliário estão na curadoria? Se sim, me parece que podemos pensar em uma ação que aconteça “out” programação, se é que me entendem… Vamos conversando sobre.

2- Falei também por telefone com a Keyla na segunda e precisamos urgentemente decidir que lugar e data gostaríamos de ter lá em BH, já que as pautas dos espaços estão quase todas fechadas. Como já havíamos conversado ela administra outro espaço além do ambiente, com 220 lugares, mas disse pra mim que esse lugar tem 3 metros de pé direito no palco. Tendo isso tudo em vista, penso que podemos fechar no Ambiente mesmo, no segundo final de semana de novembro (dias 09, 10, 11 e 12). Pensem logo pois preciso ligar pra ela ainda essa semana acenando alguma coisa.

3- Estivemos (eu, Mi e Sté) falando com a Rebeca do MON. Aprtesentamos o projeto e ela se mostrou bastante solícita para que as apresentações aconteçam lá, mas já relatou a impossibilidade de que o lançamento e os ensaios aconteçam por lá… isto pq a programação até novembro está apertadíssima. Ela ficou com uma cópia do projeto, vai olhar com mais calma, contactar sua equipe e nos dará retorno sobre as possbilidades em novembro.

Sendo assim, dois problemas URGENTÍSSIMOS permanecem: precisamos de espaço para ensaiar e para o lançamento.

Preciso ir, estou na correria.

bjo do ri.

P.S.: Onde será a reunião sábado? Alguém oferece a casa central?



Nova cabeça e CONFIRMANDO A REUNIÃO
julho 29, 2006, 12:54 am
Filed under: GERAL

Adorei  nova cabeça, Sté.

Prometo que vou aprender a lidar com imagens antes de acabar este projeto e fazer uma bem linda tbém…

Gente, sugiro que deixemos OFICIALMENTE MARCADA A REUNIÃO DE AMANHÃ NA CASA DA STÉ, AS 12 HORAS.

Sugiro também que cada um/a leve um kitute para nosso lanchinho, para não onerar a dona da casa.

NOIVACTION, domingueira. Que tal lançarmos uma espécie de chamado/divulgação?

bjo do ri.



O corpo utópico
julho 28, 2006, 11:42 pm
Filed under: GERAL, REFERÊNCIAS

Elisabete Finger

Gente,

aí vai uma traduçao-resumo tabajara do texto do Foucault. Nao é o texto que vc tem por escrito Mi, é um pedaço dele, que o Gus e o Ri devem ter no CD historico que eu deixei com a minha mae. O texto escrito é mais completo, mas eu deixei em Angers, e só vou pegar em setembro…

 

Bom, acho que isso que eu to mandando já dá pra dar uma idéia do que ele chama de heterotopia. é importante ler tudo, pq mesmo quando parece que nao tem mais nada a ver com o nosso assunto ele continua enunciando princípios que esclarecem seus conceitos.

 

Logo de inicio vcs vao ver que o que nós (por minha culpa, eu confesso) estávamos chamando de “nao lugares”, de heterotopias, nao é exatamente o que ele considera como tal. De início ele já separa os “lugares de passagem”, do que ele vai explicar como heterotopia. Mas os instrumentos que ele usa pra discutir “territorio” (e ele nao usa nem uma vez essa palavra) sao importantes para nós, pelo menos é o que eu acho…

 

Tô bem intrigada com esse assunto e tô pensando em escrever um texto de verdade discutindo isso, que se ficar razoável pode ir pro catálogo, site ou sei lá. O problema é que só vou poder fazer isso depois do dia 15 de agosto, quando volto pra Paris, e vou ter um computador de verdade.

 

Mando tbem em anexo um pedacinho que eu adoro do “le corps utopique”. Só pra dar um gosto, vou tentar traduzir mais depois. Ricardo, nao se estressa, o Foucault tem um pouco essa idéia de que “eu tenho meu corpo”, mas é importante ver o contexto onde ele escreveu isso e ele desenvolve seus argumentos muito bem.

 

Vou mandar outro e-mail com fotos

 

Bjus enormes

Beti

ANEXO 1 – Le corps utopique

O corpo utópico

Meu corpo é o contrario de uma utopia, o que nao esta nunca sob um outro céu. Ele é o lugar absoluto, o pequeno fragmento de espaço com o qual, no sentido literal, eu “faço corpo”.

Meu corpo “topia” impiedosa (mon corps topie impytoiable) (…)



Preciso começar!!!!
julho 28, 2006, 7:47 pm
Filed under: GERAL, PERFORMANCE

Oi couves,

Quero iniciar Pílulas de Deslocamentona próxima semana….  quero ver as possibilidades de orçamento e realização para começar a produzir  meus presentes.  Encaminharei no final da tarde, via e-mail, o orçamento que tenho. Penso que há algo potencial neste trabalho e que haverão derivações dele, talvez no sentido performático, talvez coreográfico…. não sei… mas sinto internamente que preciso materializá-lo. é urgente pra mim.

Também tenho pensado no lançamento e há algo me incomodando nessa minha proposta de apresentar um trabalho em nossa abertura… parece que de alguma maneira, ainda estou vinculada a um pensamento que não atua na proposta deste projeto… quero dizer com isso, que talvez a questão da territorialidade esteja sim em LIPS, mas de uma maneira  muito pessoal (a questão dos territórios de ausência)… de forma que poderia estar nesse trabalho qualquer outra relação já que a abordagem parece ser (odeio de verdade, dizer isso) temática…. não é esse o caminho…. talvez por isso o trabalho me incomode em sua concepção estética…. será um trabalho lindo, sedutor, mas isso de fato não é suficiente… então, nessa perspectiva, sinto que a idéia de Pílulasé muito mais coerente com as questões de territorialidade porque lida com estas questões em todo o seu processo. não fala sobre isso, é isso…. entendem o que quero dizer? Compartilho isso também porque vejo a importância de ter cuidado com minhas imagens…. quero sim, e muito, fazer um trabalho, mas é preciso um cuidado gigantesco para não ser um trabalho que corresponda somente à minha vaidade (e claro que ela não é fútil, mas há um tempo para encontrar as suas vias de fato) … e há a questão do momento favorável porque é maravilhoso poder viabilizar um trabalho com certa tranquilidade… mas sinto que  talvez este formato de apresentação seja contraditório ao que propomos…. não seria um problema contradizer coisa alguma, se essa subversão nos levasse a um nível diferenciado de relação, se desvendasse uma descoberta…mas tenho questionado se não é um retrocesso….

Não estou colocando-me fora do lançamento não… quero só dizer que talvez eu precise reformular tudo… tudo. ampliar e transversalizar territórios mesmo….  a questão de estar “na linha fronteiriça” da artes não é suficiente para justificar o trabalho… já caducou… desde 1999 meu trabalho está “na linha fronteiriça” da artes…. não posso usar o dinheiro desse prêmio para repetir (de forma atualizada) o que sempre fiz… ou talvez simplesmente não queira. quero descobrir outros lugares…. não sei pra onde estou indo e nem sei se chegarei a um lugar de fato… mas quero compartilhar isso com vocês…

Outra coisa: acho que não devemos postar tudo no blogue…. se é para as pessoas em geral participarem, penso, por exemplo, que questões práticas e burocráticas ou de produção, não precisam constar aqui… confunde e torna o blogue chato de ler…. porque se alguém lê um ou dois e-mails desses, vai achar que é isso…. Penso que aqui devem ser disponibilizadas somente nossas questões processuais de reflexão sobre os processos criativos e de formulação e análise…. o que vocês acham?

Beijos, Cris



netus machadus
julho 28, 2006, 7:06 pm
Filed under: AÇÕES, FOTOS, GERAL, VÍDEO

Ola pessoinhas..

A stéphany ligou no abrção e pelo visto conseguimos nossos vestidos… estamo nos dirigindo até lá hj a tarde para confirmar o numero e tamanho dos vestidos…

falei com ale haro que se mostrou muito interessada em virar nossa fotógrafa oficial do projeto. Vou falar com ela hj de novo para marcar uma reuniao com ela amanha, marco de manha para poder chegar na reuniao meio dia com as informações da Haro ja de pé.

Entrando novamente nas crises, acho ótimo que tenhamos crises, porque são elas que nos fazem repensar tudo que estamos fazendo. Mas o importante é passar por elas, ultrapassá-las, entao bola pra frente galera porque todos vcs tem um trabalho do caraio, admiro muito o trabalho de vcs (isso inclui vc sim gus) e tenho orgulho de estar trabalhando com vcs. Bola pra frente que vcstem muito o que dizer nesse trabalho…

Falando do vídeo, depois do que  ricardo propôs, acho interesante pensar neste nao lugar do corpo. Ou como o corpo é tratado como este nao lugar, como lugar de passagem de imagens, de pessoas, de conceitos. Como o corpo é, como a ponte da beti, um lugar onde nao se identifica nada, que nao é um teritório definido; nao tem clareza do sujeito e nem das propriedades deste sujeito, portanto do territorio que ele é, ou que pertence a ele…. Como funcionam as etiquetas coladas no nosso corpo-território ininterruptamente? que transformam-no em um permanente local de transição… de passagem e de tranformação..

só idéias, ou pensamentos sobre o assunto…..

acho que por enquanto é isso pessoas, mais tarde dou um parecer sobre a ale haro e sobre nossos vestidos do casamento..

bjos

amo vcs tmb (ja que o ricardo falou tmb vou deixar claro hehe)

neto machado